»
Fantasy Land.
“Não tenho uma definição para mim, nem uma palavra que me descreva. Eu amo irrevogavelmente quem merece. Eu sou sensata e realista, mas eu choro e penso em sumir do mundo quando me entristeço. Eu viajo nos meus próprios pensamentos e sou agitada, mas também escuto música lenta. Eu nasci nos anos noventa, mas eu gosto de coisas relacionadas aos anos sessenta. Eu danço, mas acho que não sei dançar. Tem dias que estou hiper sensível e tem dias que estou bandida… Eu sou difícil, sou solitária, sou estressada… Eu sou difícil, eu sei. Sempre sou a ponta que está levantada por não ceder à cola. É, essa sou eu.”
❝Por que você tinha que matar tudo que eu sentia? Me obrigar a morrer também. Me obrigar a fingir estar viva pra todo mundo. Me obrigar a não chorar, quando tive vontade de chorar.
© Tati Bernardi.   (via conspirada)

❝Hoje é sábado, talvez chova, talvez eu chore. Talvez você venha. Tudo é incerteza, tudo é talvez, tudo pode ser - o que é bom nunca acontece.
© Caio Augusto Leite.    (via inverbos)

❝É só um cara. E não a sua vida.
© Tati Bernardi.  (via incorpora)

Discriminam o baseado, olha só que engraçado. Maconha é proibida, mas o álcool é legalizado. Nunca vi um maconheiro fazer mal a ninguém, agora bêbados estuprando mulheres no meio da rua tem mais de 100. Você bebe pra caralho, pega um carro e atropela geral, mas se fumar um baseado, cê vai ficar sussa, na real. Eu não consigo entender porque é proibido, já vi muitas vezes no jornal, mulher perder o filho depois de apanhar do marido. E isso é chocante, tá ligado? Ele espancou a mulher, e adivinha.. Tava alcoolizado. E geral ver esse tipo de coisa e acha até normal, mas se te ver fumando um, cê é tarjado de bandido, malandro, marginal.